“Os Poderes Reais Sabem Que Há Que Salvar O Sistema, Não A Ordem De 78”

"Os Poderes Reais Sabem Que Há Que Salvar O Sistema, Não A Ordem De 78" 1

Dominar a suporte profunda da realidade é uma das aspirações do homem desde a noite dos tempos. Você reflete no livro que a transformação de período político, que se inicia em 2010, passou despercebido aos políticos do bipartidarismo. Contudo, antes mesmo do 15M, havia sinais claros de uma lacuna político-geracional no sistema de representação, como a aprovação da chamada Lei Sinde, 85% da câmara votou em prol.

Agora desta forma , meses antes do 15M, este diário salienta que tal grau de apoio evidenciaba um cisma entre a sede da soberania e dos representados. Você diz que nestes 40 anos de democracia, o eleitor, de acordo com as sondagens, foi assimilado como verdade que o consenso de 78 foi um pacto das elites políticas e financeiras para prorrogar a tua hegemonia em um novo quadro. Você acredita que a ruptura desse consenso se deve mais à revolução das comunicações ou da queda económica?

A tudo isso. É o esgotamento de um sistema que é inviável no primeiro mundo, a que queremos pertencer: níveis intoleráveis de corrupção, assalto contínua de dinheiro público e uma diferença muito diferenciado da francesa. A respeito que bases se estava montando nossa nação, o nosso bem-estar?

Chega a falar no livro que com esta ruptura do monopólio da verdade se encerra a pré-história. Sim. A população humana entra em contato consigo mesma, sem mediadores e evolui de uma forma diferente, de uma maneira pluridisciplinar certa. A hierarquia científica e institucional se apaga, começam a mostrar-se indivíduos não jerarquizados todavia especialistas, que também são especialistas em matérias que estão a cavalo de diferentes disciplinas. Este fenômeno é grandioso, finalmente encontramos os que pensamos e trabalhamos nas mesmas coisas, nos conhecemos, trocamos informações e tudo o que produz, imagino, uma aceleração de todos os processos de investigação e de entendimento.

  • Especialização em Estruturas
  • St. James Cathedral, catedral da diocese anglicana de Toronto
  • 32 zona industrial número de votos a favor necessários para que um artigo seja destacado
  • 2 Motivos económicos

Estas alterações, diz você, têm afetado muito a metodologia das pesquisas eleitorais, que pela primeira vez estão em ausência. É acessível. O jeito eleitoral está mudando profundamente. De 2010 a 2011 já vimos a desmobilização em massa e continuada do eleitorado do PSOE, e o vimos como algo direito que ia ter um reflexo na representação política. Eu passei o 15M em Sol estudando aquilo, e imediatamente viste que a criação mais jovem começou às precedentes. Lá, a gente jovem falava e logo os velhos lhes abraçavam. Viste uma sintonia entre as gerações, dirigido pelos jovens. E agora, desapareceram os votos do PSOE.

Em 2011, ganhou o PP e, logo em seguida, a partir de 2012, todos os adolescentes do PP bem como se desmovilizaron. Isto não foi debatido apenas. O que aconteceu com o voto do PP do que ganha no final de 2011 até as eleições europeias.

Você sublinha que é um choque surdo, que acontece só 6 meses depois de chegar ao governo e que é de meio ambiente similar ao que, dois anos antes, sofreu com o PSOE. Igual. Tudo se foi-lhes as mãos. Como não houve eleições, não ouvimos expressar disso. Só houve eleições regionais, onde prontamente se podiam puxar conclusões a respeito do que estava acontecendo.

Categories: Negócios

Tags: