Quantas Pessoas Existem Nas Mídias sociais?

Quantas Pessoas Existem Nas Mídias sociais? 1

Com a visão de que nos mostra a versão atualizada do Mapa iRedes (criado por Chiqui Esteban), não apenas há muitas mídias sociais com algumas pessoas registradas nas mesmas, mas que há cada vez mais mídias sociais. Redes) publicam um infográfico que mostra as principais redes sociais que existem pela américa latina e no universo.

neste mapa estão representadas as mídias sociais numa “bolha”, cujo tamanho varia em atividade do número de pessoas que têm registradas. 343 milhões). Se somarmos a essas quatro redes, as mais famosos na China (QQ e Sina Weibo), estamos falando de um total de 3.803 milhares de pessoas.

As categorias têm sido atribuídos diferentes cores. Deixando à margem das redes de feitio geral, existem 3 mídias sociais de caráter específico que tenham consolidado a tua presença: Skype (chat) com 280 milhões, Linkedin (negócios e emprego) com 200 milhões e Badoo (namoro) com 162 milhões. Em um terceiro grau, na mesma ordem de redes específicas, encontramos a Trypadvisor (viagens) com 75 milhões.

Há apenas dois anos, no decorrer da I edição deste Congresso, foi apresentada a primeira versão do mapa iRedes. Uma das conclusões mais importantes dessa primeira edição foi a de que as principais redes sociais somavam 2000 centenas de pessoas.

  • Próxima corrida: GP da Hungria (vinte e oito de julho)
  • quatro Usuários 4.Um “Crowdsourcing” fundamentado na web
  • Duas medalhas de ouro olímpicas, como
  • Graduação 57 (2001), Dr. Mario Molina: cientista mexicano, Prêmio Nobel de Química
  • 5 Dos índios da Catalunha
  • 2 Zig zag
  • Nov.2009 | 22:47

dessa forma, a “bolha” que ocupava o espaço central, e demonstrava o superior tamanho neste momento pertencia ao Facebook (com 550 milhões de seguidores). Na terceira edição, o top das redes mais utilizadas de origem latino-americana são: Sonico (cinquenta e cinco milhões) e Tuenti pela classe Geral (15 milhões), Bumeran (11 milhões) em Negócios e Emprego, TopRural (16 milhões) em Temáticas – Viagens. Nessa última edição, as categorias têm sido sensivelmente modificadas.

A agência Paris Région Organização, que conta com oitenta funcionários, trata-se de facilitar a instalação de empresas. Os orientam a respeito legislação, tributação e parceiros de negócios. Ajudá-los a adquirir os vistos, se for necessário, a descobrir locais e a navegar na burocracia francesa. Tratam mesmo de observar as famílias dos executivos, de buscarles escolas internacionais pra seus filhos. “É verdade que há um novo tempo para fazer negócios, desde há alguns anos, primeiro graças ao governo regional e o nacional -constata-se, em perfeito espanhol, o director-geral de Paris Région Entreprises Lionel Grotto-.

Paris não estava associado ao business, ou ao menos não o bastante. Arrastrábamos um atraso histórico em relação a Londres e, prontamente, começamos a aproximar-nos ao teu grau. Está mudando a percepção internacional. Os investidores apreciam a estabilidade política. É realista refletir que Paris podes substituir a Londres ou está exagerando? Londres é uma potência extremamente forte e as facilidades pra fazer negócios, a internacionalização de sua economia e o idioma inglês. Não queremos tratar de substituir.

Todavia as consequências do Brexit vão para além do sector financeiro. As corporações industriais (como Airbus, Jaguar Range Rover ou BMW) começam a ver de perto os efeitos que ele terá pra sua cadeia de realização. Grotto prefere ser um diplomata e não doar as campanhas pro vôo, mas é muito otimista. “Eu não adoro de falar que o Brexit é bom para Paris -justifica-. Sou um europeísta convicto e espero continuar tendo relações comerciais com os ingleses. Imagine que o Brexit podes ter bem como efeitos (negativos) pra nossas corporações e as exportações. No entanto, sinceramente, não há dúvida que Paris tem muito boa localização pro Brexit e suas decorrências.

Está bem posicionada, visto que é uma economia muito diversificada, muito voltada para a pesquisa e o desenvolvimento, a alta tecnologia, como a inteligência artificial. E em finanças podemos ser a praça do futuro”. Uma longa lista de organizações, escolheu Paris no decorrer do último ano, entre elas a norte-americana Nextuser, de inteligência artificial, a consultora alemã Kobaltblau, a belga Melexis (microeletrônica) ou a italiana Zanutta (decoração).

Categories: Negócios

Tags: